top of page

Trauma Emocional: Como Abordar a Morte com Crianças



Trauma emocional é uma realidade penetrante, deixando cicatrizes profundas na experiência humana, especialmente quando associado à perda de um ente querido. A forma como as crianças enfrentam a morte é particularmente desafiadora, exigindo orientações sensíveis e apoio emocional sólido por parte dos pais.



O trauma emocional é desencadeado por eventos que abalam emocionalmente uma pessoa, sendo a sensibilidade um fator determinante na resposta a tais eventos. Algumas pessoas possuem uma sensibilidade natural, enquanto outras a desenvolvem ao longo da vida, moldadas por experiências passadas.



Quando uma criança enfrenta a morte de um ente querido, é imperativo que os pais ofereçam suporte emocional sólido. Um psicólogo oferece insights essenciais sobre como abordar esse tema delicado:



Adaptação à crença familiar: A explicação da morte para a criança deve respeitar as crenças familiares, podendo ser associada à ideia de que o ente querido foi para o céu ou para um lugar tranquilo. A escolha da explicação deve alinhar-se com as convicções familiares.



Gestão da saudade: Cada criança lida de maneira única com a saudade. É crucial proporcionar apoio e encorajar a expressão dos sentimentos. Recordar memórias positivas destaca a singularidade e importância do ente querido.



Permitir o tempo para a tristeza: Tanto pais quanto crianças podem experimentar tristeza após a perda. O psicólogo destaca a importância de não impor um limite de tempo para o luto, permitindo que os sentimentos se desenvolvam naturalmente.



Preservar memórias: Se a criança desejar manter fotos do ente querido, deve ser incentivada. Essas imagens ajudam a manter viva a memória e os sentimentos positivos associados à pessoa falecida.



Visita ao cemitério: Se a criança expressar o desejo de visitar o cemitério, os pais podem acompanhá-la, tornando a experiência significativa. Decorar o local com flores e recordar carinhosamente o ente querido reforça a conexão emocional.



Em conclusão, enfrentar o trauma emocional ligado à morte é desafiador, mas seguindo as orientações de um psicólogo experiente, os pais podem oferecer o suporte necessário. Cada criança é única, e abordagens personalizadas são essenciais. O amor, apoio e compreensão formam a base para ajudar as crianças a superar o trauma emocional e seguir adiante em suas vidas.



Seja bem-vindo à psicoterapia e continue nos acompanhando.


Psicologia Popular | Viva Bem, Viva Zen!

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page